Comprando seu filhote
Tatiana Mieko Ono

Ao adquirir um filhote, deve-se ter consciência das responsabilidades que este animal dependente lhe trará, sendo sua obrigação cuidar bem dessa vida. A alimentação, a escolha de um bom médico veterinário, a imunização pelas vacinas, o espaço adequado e a qualidade de vida deste filhote dependerão das suas ações.   

 

Ao escolher seu bicho de estimação, esteja atento aos sinais que poderão indicar possíveis doenças:

 

Os olhos deverão estar vivos e brilhantes, sem secreções anormais. A pelagem deverá estar limpa, sem ectoparasitas (pulgas, carrapatos), brilhosa e desembaraçada, sem a presença de dermatites (feridas na pele). O animal deverá apresentar-se ativo, aceitando alimentação e brincando sempre. Não esqueça de analisar o peso do animal, pois ele não poderá estar obeso e nem muito magro (as costelas não podem estar evidentes).

 

A idade ideal para se comprar o animal é após o desmame, que geralmente ocorre por volta dos 45 dias. Procure não optar pelos menores animais da ninhada, pois geralmente esses são os mais fracos, alimentando-se menos do que os irmãos e geralmente necessitam permanecer mais tempo com a mãe.

 

Observe na região caudal (próxima ao rabo) se o animal apresenta sujidades; se estiver com diarréia, os pelos da região anal estarão com resquícios de fezes.

 

O ideal é comprar cãezinhos ou gatinhos que já foram desverminados e com a primeira dose de vacina aplicada. As vacinas só podem ser administradas pelo médico veterinário e devem ser acompanhadas do atestado de vacinação, com a assinatura do médico veterinário.

 

O animal deverá vir também com um atestado de sanidade, indicando que foi consultado por um médico veterinário e que não apresentava sinais de quaisquer enfermidades durante o exame clínico. Procure falar pessoalmente com o veterinário responsável pelo atestado, indague-o sobre possíveis defeitos congênitos perceptíveis e outros sinais clínicos importantes, caso tenha dúvidas.

 

Antes de escolher qual a raça que mais lhe agrada, procure informar-se sobre as características de cada uma delas. Por exemplo: se você mora num apartamento, não compre animais de raças grandes, como labrador ou chow-chow; se não tem tempo pra levá-lo semanalmente ao banho e tosa, não adquira raças de pêlos longos, como lhasa apso ou maltês.

 

Efetuando a compra

 

Ao efetuar a compra, o vendedor deve lhe dar um recibo do pagamento efetuado. Nunca se esqueça dele. É o comprovante de que realizou uma compra, ele é indispensável. Um contrato de compra acompanhado de nota fiscal seria ideal, mas os fornecedores de filhotes nem sempre possuem esses documentos.

 

Não se esqueça de perguntar qual a marca da ração que estão fornecendo ao animal. Alimente-o com a mesma ração, pelo menos nas duas semanas iniciais, posteriormente, se o médico veterinário de sua confiança optar por mudar a ração, ele lhe orientará como prosseguir. A mudança brusca de alimentação é causa freqüente de diarréia nos filhotes.

 

Caso você compre um filhote como presente para uma criança, lembre-se que um adulto deverá ser o responsável pelo animal. As crianças também são dependentes e nem sempre possuem maturidade suficiente para tomarem conta de um filhote. Elas podem ajudar nos cuidados com o animal, mas não estão aptas para responsabilizarem-se por uma vida.

 

Boa escolha!!!

 

Tatiana Mieko Ono

Médica Veterinária CRMV/MS 2760

Clínica Médico-cirúrgica de Animais Exóticos e Pequenos Animais

Mestre em Ciência Animal

Permitida a reprodução do texto desde que citados autoria e fonte